Ativismo Digital

ATENÇÃO HOMENS, PRECISAMOS FALAR SOBRE CONSENTIMENTO

julho 12, 2017




Consentimento parece ser mais uma das muitas palavras da língua portuguesa que os homens (cis) foram ensinados a não compreender, mas, apenas em relação as mulheres. Para o homem o consentimento da mulher passa diretamente pela sua vontade, isso quer dizer que, o não de uma mulher, principalmente, só vai ser aceito se for validado pela intenção do homem numa ou outra situação.

E, antes que você continue a leitura deste texto, é preciso que você saiba que discutir machismo e a sociedade estruturada neste mal, exige uma despersonalização do discurso, exige que você não entenda que isso trata apenas do seu amigo que não é machista ou do seu namorado incrível e respeitador. Infelizmente, quando falamos de sociedade, aquele homem que faz a sua obrigação em respeitar a vontade da mulher não é maioria no comportamento masculino.

Quando crianças, somos ensinadas que o "não" da menina quer dizer charminho, manha, uma estratégia para "valorizar o passe" diante dos meninos e homem que se preze insiste até conseguir, até transformar aquele "não" em um "sim", afinal, era o que ela queria dizer o tempo todo, mas estava "fazendo doce". Com estes e outros comportamentos ensinamos, desde crianças, que o não da mulher pode ser um talvez ou até um sim dependendo da insistência do homem, cresce-se dentro da ideia de que a mulher que recusa, na verdade queria dizer sim, mas está ali se fazendo de difícil, afinal, mulher que não se faz de difícil não se valoriza.

Como resultado disto temos, entre outros, uma quantidade imensa de estupros todos os dias. Para além daqueles que são denunciados, temos os casos de estupros que ocorrem dentro de relacionamentos amorosos, violências em baladas, assédio em ambientes de trabalho, assédios na rua e mais uma longa lista de violações que nós mulheres ouvimos todos os dias, que facilmente deixariam de ocorrer se os homens entendessem o significado da palavra CONSENTIMENTO. 

Do dicionário:



O significado da palavra não poderia ser mais explícito, precisa haver MANIFESTAÇÃO de autorização e, o NÃO é uma palavra mundialmente conhecida como uma MANIFESTAÇÃO NEGATIVA, seja em relação a autorização nestes casos ou qualquer outra ação, em relação ao que foi consultado. No entanto, o "não" feminino tende a ser relativizado de acordo com a vontade do homem. Não bastasse todas as implicações negativas que isto tem na nossa vida, o ato de apontar esta incapacidade masculina também tende a nos trazer mais problemas. Experimente questionar à um homem, a dificuldade dele em respeitar o seu "não" e veja o que acontece! 

Para falar do ponto de vista de mulheres, heterossexuais, que mantem relacionamentos abusivos, é assustadora a quantidade de casos em que elas são estupradas rotineiramente dentro de seus lares. Mais uma vez a ideia de que o "não" da mulher, está subjetivo à vontade do parceiro, faz com que todos os dias mulheres sejam submetidas a este "desejo" incontrolável de homens e seu não, mais uma vez, seja desprezado. Muitas mulheres não sabem que também é estupro quando é cometido pelo seu companheiro, mas, forçar ou intimidar a companheira afim de conseguir sexo é igualmente violento.


CRÉDITOS: FONTE: IPEA

A ideia de que a mulher precisa consentir está longe, por exemplo, das 42,7% de pessoas mostradas nesta pesquisa do IPEA que concordam que as mulheres que usam roupas curtas merecem ser atacadas, voltando lá na definição do dicionário, consentimento envolve expressar o acordo e A ROUPA QUE A PESSOA USA não é convenção mundial de afirmação, apenas na cabeça dos homens machistas da nossa sociedade e de mulheres que reproduzem esta ideia. Um número também alto e assustador de pessoas acredita que, se a mulher soubesse se comportar, haveria menos estupros e mais uma vez o absurdo se mostra, o que seriam estes "comportamentos" que validam o estupro? Uma vez que é sabido que estupro é uma violência, não sexo? 

Falando de outras personagens, igualmente ou por vezes mais violentadas, a situação das mulheres LGBT também não é fácil. A sociedade precisa buscar uma "justificativa" para àquela mulher "não gostar do óbvio", que em situações estruturadas sob, é o homem. Assim a negativa de uma mulher que se relaciona com mulheres em no que diz respeito a tentativa de homens também gera agressões, violações e, em casos extremos, a morte. "Como assim você não quer um homem?", "Você não quer mesmo, nem experimentar?", ou a clássica, "Você só fica com mulheres porque não encontrou um homem que te "pegue de jeito" e te faça mulher!". Estas e outras expressões são características do desrespeito dos homens ao nosso "não". 

Como mostrado ao longo deste texto é preciso que os homens, primeiramente, abandonem esta postura defensiva de, antes de enxergarem o problema, fazerem uma salvaguarda de si e enxerguem que o problema é macro e sistemático. Adotar uma postura correta, porém individual, não basta se seu amigo ou colega do lado continua insistindo em se comportar de maneira abusiva e você fecha os olhos. Entendam que consentimento é necessário e precisa ser explícito para que qualquer relação aconteça, afinal, aprendemos também quando crianças que "quando um não quer, dois não brigam". 

Você também pode gostar disso

0 comentários

Deixe aqui seu comentário, dica ou feedback!

FACEBOOK

RECEBA AS NOVIDADES POR E-MAIL