Empoderamento Da Mulher Negra

UM ASSUNTO RECORRENTE NOS GRUPOS DAS PRETAS: ESTAMOS SÓS

setembro 04, 2015

Eu sempre estive mais tempo sozinha do que emocionalmente entregue num relacionamento e eu sempre achei que isso fosse culpa minha de alguma forma. Talvez eu fosse brava demais, independente demais, ingrata demais... Ou falava demais, me entregava demais, amava demais, os fins sempre chegavam mais rápido do que eu gostaria ou achava justo e foram necessários anos para que eu entendesse que a máquina que estava me moendo poderia ser chamada de RACIMACHISMO
No século XIX as mulheres negras ganharam a sua "liberdade" e foi uma espécie de convite a viver com as próprias pernas, anos depois veio o feminismo branco e nos disse "vocês não precisam de homens pra viverem, sejam livres e felizes", só esqueceram de um detalhe bem importante: nós fomos largadas a própria sorte e esse papo de "homem pra chamar de meu" nunca foi pra nós, o "direito de dar pra quem/quantos quiser" não é exatamente a nossa problemática. 
Ouço sempre das mulheres pretas que me rodeiam as mesmas questões: o quanto é difícil entrar e manter uma relação estável, monogâmica e sentimento unilateral com um parceiro e neste texto eu gostaria de me ater ao meu espaço de fala, enquanto mulher cis, negra, heterossexual e afrocentrada porque eu realmente não tenho vivência para falar das irmãs trans ou das lésbicas, eu simplesmente odeio falar daquilo que não conheço pois isso é desrespeitoso e cruel!
O assunto "Solidão da Mulher Negra" passou a ser amplamente discutido dentro do Movimento Negro após o

lançamento do livro da Claudete Alves e existem diversas falas sobre o assunto hoje é dia de falar de mim e das pretas com quem eu convivo.
Nós mulheres negras fomos colocadas na sociedade como as mulheres "boas de cama, cujo o fogo nunca termina, mais quentes, mais libertárias, mais dispostas a satisfazer suas fantasias", aliás nós somos consideradas o próprio fetiche, alimentando de forma nojenta o imaginário racimachista da sociedade brasileira, isso é fomentado a cada dia pela mídia e nós fomos comprando o titulo de "mulata exportação" como algo bom! Na sociedade, coloraram a mulher negra no lugar de amante, escape sexual mas sempre de forma discreta - lê-se as escondidas - assim como os senhores de escravos que usavam dos corpos das pretas pra se aliviar na madrugada mas pela manhã voltavam para fazer a figura de bom marido ao lado das sinhás. As mulheres negras tem séculos de história de serem preteridas, escondidas e não levadas a sério.



Existem sim as pretas felizes, realizadas e que encontraram um homem de verdade que as respeitam enquanto mulheres e negras, existem também as que são fortes, "espertas" e já estão escaldadas demais para deixar os homens utilizarem desse preterimento histórico para nos manipular entretanto, o número de mulheres pretas sensibilizadas por isto é grande e real e precisamos ser irmãs de fato nestas horas.

Durante o BBB deste ano, a Amanda foi extremamente julgada por aceitar toda a manipulação do Fernando que ao sair da casa foi correndo para os braços da branca, num dos programas eu ouvi o choro da Amanda "as pessoas me julgam porque eu aceito o que ele faz comigo, mas eu nunca tive essa chance, ninguém nunca disse que me ama, ele fala o que eu quero ouvir" e por mais que ela soubesse que era falácia ela se sentia preenchida por tudo aquilo. É bem este o sentimento da maioria das mulheres negras e isso precisa ser trabalhado e não julgado!
É preciso falar, não somos obrigadas a ser fortes o tempo todo. 


"Muitas mulheres negras sentem que em suas vidas existe pouco ou nenhum amor", essa é uma de nossas verdades privadas que raramente é discutida em público. Essa realidade é tão dolorosa que as mulheres negras raramente falam abertamente sobre isso." Bell Hooks (escritora americana).



Apesar da pauta ser delicada e complexa, precisamos fortalecer as rodas de conversas virtuais e pessoais para discutir e ouvir as irmãs negras, empoderar uma mulher negra para que ela se conscientize de que esta solidão NÃO É CULPA DA MULHER NEGRA e que juntas seremos muito mais fortes para juntar contra o sistema racimachista opressor.


A pauta é longa e as vezes dolorosas para nós mulheres negras e daria muito mais que um post aqui no blog, mas por hora é isto, quem sabe não voltamos neste assunto. 

Sintam-se a vontade para deixar as críticas/comentários aqui ou no contato da página pois é muito importante para o meu trabalho ouvir vocês!

Você também pode gostar disso

7 comentários

  1. Gente que texto maravilhoso de ler ^^ Aprendo bastante lendo cada postagem sua :) Realmente ser negra é suportar o racismo e machismo 2 vezes . E essa parte da história que ninguêm, tem interesse de ver, estar mais viva do que nunca , tornando um ciclo vicioso e repetitivo. Essa semana inclusive, pensei em quantas vezes entramos num relacionamento que no fundo no fundo nem queríamos, mais tinhamos receio de dizer NÃO. Com o afrontamento vamos nos tornando mais forte e juntas vamos vencendo cada dia quebrando esses rótulos que enfiaram guela abaixo em nós mulheres negras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, é muito importante ter um retorno positivo de vocês!
      E esse assunto tem que ser debatido e escurecido sim, para evoluirmos!
      Volta sempre preta!

      Excluir
  2. Isso é um fato, nós homens negros temos que reconhecer. Só muito recentemente me libertei dessa forma de racismo que me fazia ignorá-las e correr atrás das brancas. Olhando para trás, vejo o quanto contribuí para semear tristezas nesse mundo. Me arrependo muito disso, mas infelizmente o tempo não volta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ed, não se lamente mas sim agradeça por ter acordado! Antes tarde do que tarde demais, rs!
      E você pode fazer muito em dar uns toques nos seus amigos, explicar com falas de homem como é que essa banda está tocando quem sabe descontruindo a partir do seu círculo as coisas mudem :)
      Volte sempre ao blog, sempre bom ter a opinião do homem negro sobre o meu trabalho!
      Abraços

      Excluir
  3. Pretas, é tão bom saber que não estou sozinha nesta!
    Realmente sempre me culpei pelos relacionamentos não duradouros, que na maioria das vezes eu não era assumida, isso por brancos e negros e hoje que já tenho uma certa consciência disso tudo, não aceito mais estes tipos de relações, é solidão total mesmo...
    Outro ponto importante do texto, é que sim, realmente por muito tempo me envergonhei desta situação e fingia ser uma garota descolada que não estava afim de nada sério, mas a rela é que muito romântica e quero sim viver uma linda história de amor, me senti amada e acredito que todas as mulheres desejam isso, mesmo que as que tiveram que aprender na 'marra' a viver sem ;(
    Gratidão pelas experiências trocadas meninas, parabéns pelo blog minha xará Lívia rs ele é completo e complexo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lívia, seja bem vinda xará, rs
      Olha, por incrível que pareça é sempre um caso comum à nós né? A história, o desenrolar dela.. Mas estamos mais conscientes e eu acredito que este é o primeiro passo para que as coisas mudem de patamar. E vai mudar Preta! Vai sim...
      Vem mais vezes até aqui... Amei ler o que você escreveu, é assim que a gente se sente amparada né? <3

      Excluir
    2. Voltarei sempre ;)
      A união faz a força negras lindas!

      Excluir

Deixe aqui seu comentário, dica ou feedback!

FACEBOOK

RECEBA AS NOVIDADES POR E-MAIL